Olhamos ao redor e vimos pessoas.

E desde então nossa obstinação é impactar positivamente suas vidas: seja em hospitais, clínicas, residências, escritórios ou aonde for.

Sim, nós queremos mudar o mundo. Ao escolhermos a Arquitetura e o Urbanismo fizemos com que essa opção fosse concretamente visível. As transformações que promovemos mudam diretamente a vida das pessoas. E como o provérbio africano, acreditamos que “muitas pequenas pessoas que em muitos pequenos lugares fazem várias pequenas coisas podem mudar a face do mundo.” Promover pequenas mudanças é o primeiro passo para criar um mundo mais justo, acolhedor e humano.

“Muitas pequenas pessoas que em muitos pequenos lugares fazem várias pequenas coisas podem mudar a face do mundo.”

Provérbio Africano

São as novas ideias, os novos contextos, os novos ambientes que mudam o mundo. Inovar não necessariamente é criar do zero algo novo e revolucionário, mas ver algo de uma nova maneira. Ao vermos determinadas situações de forma diferente, damos o primeiro passo para mudá-la. E se a pretensão é transformar o mundo que temos no mundo que queremos, temos um longo caminho.

O primeiro passo para promover novas percepções é ver com os olhos do outro, sentir com o coração do outro, se colocar no lugar do outro. Hoje fala-se muito em empatia, que do grego empatheia significa “paixão”. É querer de todo coração mostrar que pode ser diferente, pode ser melhor, mais dinâmico, mais positivo. Promover transformações é trazer vitalidade, é reconectar o ser humano consigo mesmo, com a sociedade, com o meio ambiente. Acreditamos que promovendo novas conexões, novos encontros, fomentamos novas ideias. E se vida é feita de relações elas são a base de nossa atuação.

O segundo passo é ser sensível a maneira como vivemos, tendo responsabilidade para com todas as relações. No encontro entre pessoas, na percepção do meio onde vivemos, nosso trabalho, escola, casa, no impacto ambiental que nossas construções possuem. E a responsabilidade nos traz consciência de que podemos ser uma pequenina parte de um grande todo, mas que importamos.

O terceiro passo, e mais prático, é ser otimista e acreditar nas pessoas. É mostrar que pessoas influenciam pessoas. O mundo é feito de, por e para pessoas. E é só a partir da consciência de que cada um de nós possui um papel fundamental e que as nossas ações influenciam o nosso meio que criamos coragem para agir, com esperança de que mesmo sendo pequenos, somos uma pessoa que convive com outras pessoas e trabalha impactando pessoas. Nossa paixão é mudar ambientes para mudar vidas. Nosso objetivo é gerar novas percepções. Muito prazer, somos a REDORA.